POR: FÁBIO CÂMARA


A nossa cultura e as nossas tradições são pilares fundamentais constitutivos do nosso Estado, da nossa cidade e de quem nós somos! As festas e celebrações juninas nos representam enquanto povo! Porém, quando um mínimo de planejamento necessário para caracterizar uma gestão se revela inexistente, o que se faz evidente é que não se alcançará UM PLANO DE ESTADO MACRO quando sequer se tem a apresentar um “plano de governo micro” respeitável e/ou eficaz!

Assim como a cirurgia de Brandão se tornou, também É INADIÁVEL que ele explique, por exemplo: Por que o seu candidato ao senado, Flávio Dino, viaja em campanha no helicóptero do Estado? Por que aproximadamente 12 milhões dos cofres públicos seriam gastos com bonés e camisetas tendo seu nome ali estampado?

Que destinação será dada às bandeirinhas caídas que correm o risco de, ao invés de enfeitarem o São João, enfeiarem ainda mais essa pobre e frágil administração? Quem paga os milhares de litros de combustíveis queimados inutilmente nos engarrafamentos provocados pela ineficiência e pela incompetência do governo, em dias de gasolina a quase 8 reis o litro? E quem vai arcar com os custos do tempo desperdiçado e dos danos materiais verificados em batidas resultante de todo esse caos provocado pelo desgoverno Brandão?


A queda das bandeirinhas, talvez represente mais do que uma maldição dos cazunbás! Talvez seja São João nos iluminando com as luzes das suas fogueiras tornando o caminho mais claro para que vejamos que Brandão é apenas um bom vice!

Talvez seja São Pedro regando com as águas da chuva o nosso futuro para que plantemos nas urnas outras sementes cujos frutos realmente alimentem ao nosso povo e a nossa gente!

Talvez o que estejamos interpretando como mal, seja uma bênção de Santo Antônio, abençoando o nosso casamento e uma nova aliança com UM MARANHÃO MAIS FELIZ!
E eu sigo acreditando em dias melhores movido pela certeza de que “SOMOS DOZE PRA LEÕES!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here