Pelo visto a disputa pelo Governo do Maranhão nas eleições do ano que não deve mesmo se limitar aos dois candidatos do grupo político do governador Flávio Dino (PSB) – o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e o senador Weverton Rocha (PDT).

Na semana passada, tivemos a movimentação de três nomes para essa disputa. O ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, que se filiou ao PSD, confirmou que disputará o Governo do Maranhão. Além dele, o secretário de Educação, Felipe Camarão (PT) e o atual prefeito da capital, Eduardo Braide (Podemos), não descartaram essa possibilidade.

Já nesta terça-feira (10), em entrevista na TV Mirante, quem fez suspense e não descartou a possibilidade de disputar novamente o Governo do Maranhão foi a ex-governadora Roseana Sarney (MDB). A ex-governadora estava demonstrando interesse em disputar uma vaga para a Câmara Federal, mas como tem aparecido liderando todas as pesquisas, uma disputa para o retorno a Palácio dos Leões está sendo analisada.

“Nós assumimos a direção do MDB, eu estou como presidente estadual do partido e claro, nós vamos conversar com todos os segmentos do partido e só após essas conversas, esse diálogo, primeiro dentro do partido, depois com os outros partidos da base, da Oposição, nós vamos tomar uma posição. Evidentemente que é precipitado eu tomar uma posição agora. já que o meu nome está em primeiro lugar em todas as pesquisas. Então nós temos que conversar, acompanhar este processo e depois decidir é claro. O MDB como sempre quer ser um dos articuladores desse processo. Nós queremos montar uma chapa de deputados federais, de deputados estaduais que seja competitiva e que a gente possa eleger o maior número possível de deputados estaduais e deputados federais e, se tudo acontecer do jeito que a gente está pensando influenciar também nas chapas majoritárias”, destacou.

Roseana reafirmou o desejo de disputar uma vaga na Câmara Federal, mas ressaltou que não pode descartar uma disputa majoritária.

“Muita gente fica me perguntando por que eu, que lidero todas as pesquisas de intenção de voto, não concorro novamente ao cargo de governadora. Minha vontade pessoal é não disputar o Governo. Mas isso não depende só de mim. É uma decisão partidária que tenho que respeitar. É precipitado descartar logo uma candidatura ao Governo”, finalizou.

Sendo assim, é melhor aguardar e conferir, mas a cada dia tem mais políticos ficando em stand by para 2022.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here